conteúdo do menu

Prefeitura Municipal de Jandaia do Sul

conteúdo principal
COVID 19

Boletim Semanal

Atualizado em: 17/09/2021
Confirmados
3461
Descartados
5123
Óbitos
84
Análise
13
Recuperados
3338
Tratamento
39

Programa de Reabilitação
Pós COVID-19

Visando a qualidade de vida e o bem-estar dos jandaienses, o CTC (Centro de Tratamento da COVID-19) conta com um Programa de Reabilitação Pós COVID-19. Neste programa, o paciente, ao receber alta da internação, passa por uma avaliação médica e recebe direcionamento para nutricionistas, psicólogos e fisioterapeutas.

Procure o CTC ou ligue para o Disk Covid-19 para mais informações (43) 9-8447-9094.

COMO SE PROTEGER
Ao tossir e espirrar

Cubra a boca e o nariz. Use os braços ou lenço descartável. Evite usar as mãos. E, se usar, lembre-se de higienizá-las.

Se usar um lenço, jogue-o fora imediatamente e lave as mãos.

Use, preferencialmente, lenços de papel.

LOCAL DE
VACINAÇÃO

Ginásio de Esportes

(Em dias previamente informados de acordo com o recebimento de vacinas pelo Município de Jandaia.)

Rua Rotary, 108 – 220 Centro

Horário: 9:00 horas às 16:00 horas



Para mais informações ligue para o Disk Covid-19
(43) 9-8447-9094

Secretaria Municipal de Saúde
Nota Explicativa sobre frascos com doses excedentes e frascos com menos doses

Em relação a vacina contra o coronavírus, recebemos lotes de quatro laboratórios produtores distintos. Como é de conhecimento, os imunobiológicos possuem um prazo de validade após abertura do frasco. A vacina produzida pelo Butantan/Coronavac tem um prazo de validade oito horas após abertura do frasco multidose (10 doses), a vacina produzida pela Fiocruz/Astrazeneca apresenta-se em frasco multidose (5 doses) e tem validade de 48 horas após o rompimento do lacre. A vacina produzida pela Pfizer, apresenta um frasco multidose (6 doses) e tem validade de seis horas após a abertura do frasco. A Vacina produzida pela Janssen apresenta um frasco multidose (5 doses) e tem validade de seis horas após a abertura do frasco.

Ressaltamos que outros municípios também relatam que em lotes iniciais da vacina de ambos os laboratórios foi possível aspirar ate onze doses da grande maioria dos frascos, mas nos últimos lotes da vacina Coronavac/Butantan verificou-se que os frascos não estão contendo as dez doses descritas no rótulo.

Tendo em vista a escassez do imunizante, elaborou-se um fluxo de atendimento para otimizar 100% das doses que por ventura possam restar no frasco ao final do expediente do departamento de saúde.

O departamento de saúde através da equipe responsável pela vacinação COVID 19 no município de Jandaia do Sul , realiza um planejamento estratégico de acordo com as doses de vacinas que podem vir a sobrar no dia da vacinação no município, através de busca ativa da população que está sendo destinada a vacinação ( nova admissão de profissionais de saúde, idoso que por algum motivo não tenha recebido a vacina, pessoas com comorbidades ou deficiência , gestantes e população geral que já foi destinada a vacinação e por algum motivo não tomaram, por telefone, por contato individual, chamando a população para comparecer no local da vacinação , ou quando necessário , realizando no domicilio como objetivo de não perder /sobrar nenhuma dose por validade.

VACINÔMETRO SEMANAL

Grupos Prioritários Quantitativo 1º Dose 2º Dose Vigente
Pessoas de Sessenta anos ou mais institucionalizadas
153
77
76
Não
Profissionais de Saúde
1639
823
816
Não
Pessoas de 80 anos ou mais
1433
731
702
Não
Pessoas de 75 a 79 anos
1203
612
591
Não
Pessoas de 70 a 74 anos
1566
783
783
Não
Pessoas de 65 a 69 anos
2094
1047
1047
Não
Pessoas de 60 a 64 anos
2371
1202
1169
Não
Comorbidades
2376
1626
1484
Não
Pessoas com Deficiência Permanente Severa
164
89
75
Não
Profissionais da educação
1464
737
727
Não
Profissionais da Assistência Social CRAS / CREAS
50
30
20
Não
População Privada de Liberdade (exceto trabalhadores de saúde e segurança)
62
62
0
Não
Trabalhadores de Limpeza Urbana e Resíduos Sólidos
73
45
28
Não
Pessoas de 18 a 59 anos
10122
7982
2140
Sim
Gestantes e Puérperas
221
139
82
Não
Caminhoneiros e Motoristas do Transporte Coletivo
236
230
6
Não

DOSES RECEBIDAS

Data Recebimento Quantitativo Astrazeneca Coronavac Pfizer Janssen
21/09/2021
740
110
120
510
0
18/09/2021
292
200
50
42
0
15/09/2021
624
0
0
624
0
11/09/2021
666
0
0
666
0
01/09/2021
570
420
0
150
0
00/00/0000
1644
900
210
534
0
24/08/2021
302
0
230
72
0
20/08/2021
1135
525
292
318
0
17/08/2021
492
0
90
402
0
16/08/2021
218
0
80
138
0
12/08/2021
66
0
0
66
0
11/08/2021
274
0
100
174
0
09/08/2021
652
455
0
192
5
07/08/2021
230
0
50
180
0
02/08/2021
1037
655
130
252
0
29/07/2021
389
75
242
72
0
22/07/2021
2030
1885
97
48
0
17/07/2021
390
270
120
0
0
13/07/2021
120
0
120
0
0
10/07/2021
295
0
37
258
0
06/07/2021
1153
505
130
198
320
02/07/2021
536
410
0
126
0
25/06/2021
440
0
110
210
120
21/06/2021
430
0
100
330
0
15/06/2021
675
645
30
0
12/06/2021
480
0
0
480
05/06/2021
790
750
40
0
29/05/2021
850
850
0
0
25/05/2021
60
0
60
0
22/05/2021
155
155
0
0
18/05/2021
310
270
40
0
12/05/2021
595
555
40
0
06/05/2021
920
920
0
0
01/05/2021
665
645
20
0
24/04/2021
355
355
0
0
17/04/2021
530
510
20
0
09/04/2021
230
170
60
0
06/04/2021
10
0
10
0
29/03/2021
870
80
790
0
25/03/2021
1060
0
1060
0
23/03/2021
450
0
450
0
11/03/2021
340
0
340
0
05/03/2021
180
0
180
0
04/03/2021
160
0
160
0
26/02/2021
320
230
90
0
12/02/2021
352
0
352
0
08/02/2021
160
0
160
0
25/01/2021
542
190
352
0

Vacinas
Recebidas

Vacina do Butantan:

A eficácia vacinal do butantan é 50,39%, porém a eficácia é maior nos casos moderados a graves.

A vacinação com a vacina adsorvida covid-19 (inativada) estimula o corpo a induzir imunidade contra o vírus SARS-CoV-2 para a prevenção de doenças causadas pelo mesmo. Com base nos dados clínicos completos de imunogenicidade e segurança da vacina, sugere-se que a vacina pode ter um valor potencial de aplicação clínica. No entanto, uma vez que o estudo sobre o efeito protetor contra COVID-19 ainda não foi concluído, o efeito protetor desta vacina contra COVID-19 não pode ser determinado. O corpo demora algum tempo para produzir anticorpos neutralizantes após a vacinação e durante este tempo devem ser tomadas medidas de proteção adequadas.

A vacina adsorvida covid-19 (inativada) contém o antígeno do vírus inativado SARS-CoV-2.

Ainda não foi determinado se doses de reforço do produto serão necessárias.

Como todo medicamento, a vacina adsorvida covid-19 (inativada) pode provocar eventos adversos, dos quais alguns podem exigir atendimento médico.

Reações adversas observadas a partir de estudos clínicos fase I/II em Adultos (18-59 anos) e Idosos (com mais de 60 anos): - Reação muito comum (podem ocorrer em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Local da aplicação: dor - Reação comum (podem ocorrer entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Sistêmica: cansaço, febre, dor no corpo, diarreia, náusea, dor de cabeça - Reação incomum (podem ocorrer entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Sistêmica: vômitos, dor abdominal inferior, distensão abdominal, tonturas, tosse, perda de apetite, reação alérgica, pressão arterial elevada, hipersensibilidade alérgica ou imediata o Local da aplicação: coloração anormal, inchaço, coceira, vermelhidão, diminuição da sensibilidade, endurecimento Reações adversas observadas a partir do estudo clínico fase III em Adultos (18-59 anos) até 7· dias após a administração da segunda dose da vacina: - Reação muito comum (podem ocorrer em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Sistêmica: dor de cabeça, cansaço o Local: dor - Reação comum (podem ocorrer entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Sistêmica: enjoo, diarreia, dor muscular, calafrios, perda de apetite, tosse, dor nas articulações, coceira, coriza, congestão nasal o Local: vermelhidão, inchaço, enduração, coceira - Reação incomum (podem ocorrer entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Sistêmica: vômito, febre, vermelhidão, reação alérgica, dor garganta, dor ao engolir, espirros, fraqueza muscular, tontura, dor abdominal, sonolência, mal estar, dor nas extremidades, dor abdominal superior, dor nas costas, vertigem, falta de ar, inchaço o Local: hematoma

Reações adversas observadas a partir do estudo clínico fase III em Idosos (acima de 60 anos) até· 7 dias após a administração da segunda dose da vacina: - Reação muito comum (podem ocorrer em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Local: dor - Reação comum (podem ocorrer entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Sistêmica: enjoo, diarreia, dor de cabeça, cansaço, dor muscular, tosse, dor nas articulações, coceira, coriza, dor ao engolir, congestão nasal o Local: coceira, vermelhidão, inchaço, enduração - Reação incomum (podem ocorrer entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento) o Sistêmica: vômito, calafrios, diminuição de apetite, reação alérgica, tontura, hematoma, hipotermia, desconforto nos membros, fraqueza muscular o Local: hematoma.

Vacina Oxford / Astrazeneca (Fiocruz):

A vacina covid-19 (recombinante) é indicada para a imunização ativa de indivíduos a partir de 18 anos de idade para a prevenção da doença do coronavírus 2019 (COVID-19).

A eficácia da vacina está em torno de 73,00% .

Indivíduos imunocomprometidos

Não se sabe se indivíduos com resposta imune comprometida, incluindo indivíduos que estejam recebendo terapia imunossupressora, desenvolverão a mesma resposta que indivíduos imunocompetentes ao esquema da vacina.

Duração e nível de proteção

A duração da proteção ainda não foi estabelecida.

Como com qualquer vacina, a vacinação com a vacina covid-19 (recombinante) pode não proteger todos os indivíduos que receberam a vacina.

Não há dados de segurança, imunogenicidade ou eficácia que corroborem a intercambialidade da vacina covid-19 (recombinante) com outras vacinas para COVID-19.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Gravidez

Há dados limitados sobre o uso da vacina covid-19 (recombinante) em mulheres grávidas ou mulheres que engravidaram após receber a vacina. Os dados são insuficientes para fundamentar um risco associado com a vacina.

As reações adversas mais frequentemente reportadas foram sensibilidade no local da injeção (> 60%); dor no local da injeção, cefaleia, fadiga (> 50%); mialgia, mal estar (> 40%); pirexia, calafrios (> 30%); e artralgia, náusea (> 20%).

A maioria das reações adversas foi de intensidade leve a moderada e usualmente resolvida dentro de poucos dias após a vacinação.

Em comparação com a primeira dose, as reações adversas reportadas após a segunda dose foram mais leves e menos frequentemente reportadas.

As reações adversas foram geralmente mais leves e menos frequentemente reportadas em idosos (≥ 65 anos de idade).

Vacina Pfizer

O imunizante da Pfizer tem eficácia global de 95%.

A vacina faz com que o sistema imune (as defesas naturais do organismo) produza anticorpos e células de defesa que atuam contra o vírus SARS-CoV-2, possibilitando assim a proteção contra a doença COVID-19.

Uma vez que a vacina possui apenas uma parte sintética do material genético do vírus, e não o vírus em si, ela não provoca a doença COVID-19 em quem a recebe.

Após a diluição, uma dose da vacina , equivalente a 0,3 mL é administrada como injeção no músculo da parte superior do braço. Segundo o Programa Nacional de Imunização, a segunda dose é recomendada 12 semanas após (3 meses); e a utilização em maiores de 18 anos.

Como todas as vacinas, podem causar efeitos secundários, embora estes não se manifestam em todas as pessoas.

Reações muito comuns (ocorrem em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): dor e inchaço no local de injeção, cansaço, dor de cabeça, diarreia, dor muscular, dor nas articulações, calafrios e febre.

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): vermelhidão no local de injeção, náusea e vômito.

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): aumento dos gânglios linfáticos (ou ínguas), reações de hipersensibilidade [por exemplo, erupção cutânea (lesão na pele), prurido (coceira), urticária (alergia da pele com forte coceira), angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa)], diminuição de apetite, dor nos membros (braço), insônia, letargia (cansaço e lentidão de reações e reflexos), hiperidrose (suor excessivo), suor noturno, astenia (fraqueza, cansaço físico intenso), sensação de mal estar e prurido no local de injeção.

Vacina Janssen

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o imunizante apresenta alta eficácia na prevenção de hospitalização e morte pela Covid-19. Uma dose única da vacina tem eficácia global (que reúne dados de todos os estudos clínicos) de 66,9% contra infecções sintomáticas, de 76,7% contra doença grave e morte após 14 dias e de 85,4% após 28 dias de imunização. Frasco para injetáveis multidose que contém 5 doses de 0,5 ml.

COVID-19 Vaccine Janssen é indicada para a imunização ativa para prevenir a COVID-19 causada pelo SARS-CoV-2 em indivíduos com idade igual ou superior a 18 anos.

Indivíduos com idade igual ou superior a 18 anos COVID-19 Vaccine Janssen é administrada em regime de dose única de 0,5 ml, apenas por injeção intramuscular no músculo deltóide.

População pediátrica A segurança e eficácia de COVID-19 Vaccine Janssen em crianças e adolescentes (idade inferior a 18 anos) não foram ainda estabelecidas. Não existem dados disponíveis.

A eficácia, segurança e imunogenicidade da vacina não foram avaliadas em indivíduos imunocomprometidos, incluindo aqueles a receber terapêutica imunossupressora. A eficácia de COVID-19 Vaccine Janssen pode ser inferior em indivíduos imunocomprometidos.

A proteção começa aproximadamente 14 dias após a vacinação.

A experiência sobre a utilização de COVID-19 Vaccine Janssen em mulheres grávidas é limitada.

Reações adversas notificadas após vacinação com COVID-19 Vacina Janssen

Doenças do sistema imunitário – hipersensibilidade (reações alérgicas da pele e tecido subcutâneo), urticária ( Raro);

Doenças do sistema nervoso – cefaléia (muito freqüente), tremor (pouco freqüente);

Vasculopatias – Trombose em combinação com trombocitopenia (muito raro)

Doenças respiratórias – tosse (freqüente), espirros, dor orofaríngea (pouco freqüentes);

Doenças gastrointestinais – Náuseas (muito freqüente);

COMO SE PROTEGER
LAVE AS MÃOS

Após tossir ou espirrar.

Antes e depois de comer.

Ao chegar em casa.

Após usar o banheiro.

Ao deixar espaços públicos.

Antes, durante e depois de cuidar de pessoas doentes.